Obras de saneamento básico estão em ritmo acelerado em Atibaia

Nova Estação de Tratamento de Água vai ampliar a capacidade de tratamento de água

Por Maria Clara 22/07/2018 - 09:41 hs

As obras da nova Estação de Tratamento de Água (ETA) de Atibaia, que haviam sido paralisadas para adequação dos projetos em função da mudança da qualidade da água do Rio Atibaia - identificada a partir da severa crise hídrica que atingiu o Estado de São Paulo em 2014 - estão em ritmo acelerado no município. A construção da unidade, reiniciada em outubro de 2017, na sede da Companhia de Saneamento Ambiental de Atibaia - Saae, irá modernizar o sistema utilizado hoje na cidade, possibilitando atingir uma vazão de até 700 litros por segundo, o que representa praticamente o dobro da capacidade de tratamento de água atual (de 400 l/s) no município.

Segundo a Saae, com a mudança na qualidade da água foi necessária a contratação de um estudo para análise da água do Rio Atibaia. O levantamento apontou que o longo período de estiagem gerou uma modificação na composição da água bruta do rio, condição que exigiu uma revisão de todo o projeto da nova ETA, interrompendo e atrasando as obras já iniciadas.

De acordo com a superintendente da Saae, Fabiane Santiago, além das adequações necessárias ao projeto para atender à nova realidade da água, as mudanças também exigiram nova análise do agente técnico/financeiro do projeto, a Caixa Econômica Federal (CEF). Somente após o aval da Caixa é que as obras puderam ser retomadas. “As obras foram paralisadas por uma necessidade de revisão do projeto após mudança da qualidade da água bruta do Rio Atibaia, em função do estado de criticidade atingido na crise hídrica de 2014/2015. O estudo realizado à época identificou que a classe de qualidade do Rio Atibaia, principal manancial do município, decaiu abruptamente em virtude da redução do volume de água corrente no Rio e da manutenção dos lançamentos de cargas poluidoras à montante da captação da cidade”, esclarece.

Após a revisão do projeto, os investimentos foram atualizados para mais de R$ 35 milhões, sendo cerca de R$ 9 milhões em recursos próprios e cerca de R$ 26 milhões financiados. Desse total, pouco mais de R$ 10 milhões já foram realizados, o que equivale a 28% da obra. O contrato vigente, relativo às obras em execução atualmente, é de 24 meses, sendo que as obras foram retomadas em outubro de 2017, com término previsto para outubro de 2019, mas expectativa de entrega para junho de 2019.

Para a superintendente da Saae, a nova Estação de Tratamento de Água representa um grande avanço para Atibaia. “A nova ETA Central será uma das mais modernas do país e irá praticamente duplicar o volume de água tratada na cidade. É uma conquista sem precedentes no saneamento de Atibaia e que influenciará positivamente na qualidade de vida da população”, ressalta. “As obras continuam evoluindo normalmente, conforme previsto no cronograma de execução. Trata-se de um equipamento público de grandes dimensões e que certamente beneficiará milhares de pessoas, contribuindo para o desenvolvimento do município”, complementou.

A nova ETA Central está sendo construída na Praça Roberto Gomes Pedrosa - área pertencente à Saae, conforme Decreto nº 8.181/17, que discrimina os bens imóveis transferidos ao serviço autônomo de água e esgoto pelo Decreto n° 987/74 - portanto faz parte do terreno onde já se encontra o reservatório de distribuição de água e demais equipamentos.

Até o momento, já foram executados os seguintes serviços no local: instalação de canteiro de obras; remanejamento das tubulações de entrada e saída da atual ETA (ETA I); conclusão do movimento de terras do bloco hidráulico da nova ETA Central (corte, aterro, nivelamento e compactação); conclusão da execução das fundações da nova ETA Central; e conclusão da estrutura da Estação de Tratamento de Lodo (ETL). 

Atualmente, está em andamento a fase de execução da superestrutura (bloco hidráulico e desinfecção final).